terça-feira, 10 de março de 2009

ODONTOLOGIA DESPORTIVA

ODONTOLOGIA DESPORTIVA
TRAUMATISMO DENTARIO NA PRÁTICA ESPORTIVA

Muita gente aqui, deve se lembrar desse lance em 2004, quando o então jogador do Palmeiras Magrão, perdeu dois dentes após uma cotovelada do jogador do São Caetano. Casos assim são mais comuns do que pensamos. Segundo a ADA (AMERICAM DENTAL ASSOCIATION) cerca de 5 milhões de dentes são perdidos por ano na prática esportiva. Em certas circunstâncias, como impactos horizontais, é comum acontecer um deslocamento total do dente. O que fazer nessa hora? Uma série de condutas adotadas imediatamente após podem aumentar a chance de salvar esse dente. Se o dente for de leite a colocação do mesmo no lugar não é indicada, pois a chance de sucesso é mínima. No caso de dente permanente indica-se o reimplante. Para ter sucesso no reimplante é necessário:
· Manter a calma e fazer com que a pessoa morda uma gaze ou pano limpo para controlar o sangramento.
· Encontrado o dente, pegue o dente somente pela coroa, não toque na raiz.
· Resíduos devem ser tirados com soro fisiológico ou leite. Não esfregue o dente.
· Posicione o dente de volta no lugar, não esqueça que a parte côncava é colocada voltada para o lado de dentro da boca, faça-o morder a gaze para manter o dente em posição e procure um dentista imediatamente.
· Caso não consiga colocar o dente em posição, mantenha o dente em soro fisiológico, ou leite morno ou mesmo dentro da boca do acidentado, debaixo da língua (isso irá manter o dente no Ph e temperatura ideais) e procure imediatamente o dentista. Lembrando-se sempre que o sucesso do reimplante depende muito do tempo em que o dente ficar fora do alvéolo (quanto menor esse tempo maior o sucesso) e da conservação do mesmo nesse período.
DR. LUIZ EMÍLIO PEREZ GARCIA JÚNIOR CIRURGIÃO DENTISTA CROSP:48.472

Referencia Biográfica:

SANTIAGO, BM; SOUZA, MIC de; MEDEIROS, UV de; BARBO­SA, ARS. Conhecimento dos médicos pediatras acerca da saúde bucal de bebês. RBO, vol. 59(2), p. 86-89, 2002.

SILVA, JYB da; ARANHA, AMF; PEIXOTO, V; CONTA, B; GO­MIDE, BR. Prevalence of oral trauma in children with bilateral clefts. Dental traumatology, vol. 21, p. 9-13, 2005.
ONYEASO, CO; AROWOJOLU, MO; OKOJE, VN. Nigeria dentists´knowledge and attitudes towards mouthguard protec­tion. Dental traumatology, vol. 20, p. 187-191, 2004.

PASTOR, IMO; ROCHA, MCBS. Integração da pediatria na promoção da saúde: enfoque funcional do sistema esto­matognático. Rev. Fac. Odontol. Univ. Fed. Bahia, vol. 23, p. 74 – 80, 2001.

PATRÍCIO, SF; PATRÍCIO, MFG. de. A Odontologia infantil e a Pediatria. Pediatria, vol. 16(1) p. 10- 15, 1994.

RAJAB, LD. Traumatic dental injuries in children presenting for treatment at the Department of Pediatric Dentistry, Faculty of Dentistry, University of Jordan, 1997-2000. Dental Traumatol­ogy, vol. 1(19) p. 6-11, 2002.
DR. LUIZ EMÍLIO PEREZ GARCIA JÚNIOR CIRURGIÃO DENTISTA CROSP:48.472 nosso amigo leitor e colaborador do blog.

2 comentários:

Crica disse...

eu já perdi dois dentes por culpa de uma cotovelada e uma batida de ombro no meu rosto.... se soubesse teria seguido essas instruções....

clever disse...

Nuno valeu essa postagem, foi uma grande prestação de serviço e esse é nosso objetivo, levar informação além da diversão.
obrigado