quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Prisão de ventre/Por Cacá Gouveia

Por @cacagouveia


Segundo o Wikipedia, “prisão de ventre é a dificuldade constante, ou eventual, da evacuação das fezes, que se tornam ressecadas. Esta, não deve ser considerada como uma doença, mas como um sintoma ou efeito de alimentação deficiente, estresse e outros problemas que fazem com que o organismo responda retendo as fezes por um período maior do que o normal”.

Essa descrição parece cair perfeitamente sobre a equipe do São Paulo, um time que não consegue deslanchar no Campeonato Brasileiro, apesar de ocupar momentaneamente a primeira posição após o empate contra o Corinthians. O grupo de Adilson Batista tem uma dificuldade crônica em fazer o jogo correr, mesmo com jogadores velozes como Lucas e Dagoberto sendo apoiados por um meia capaz de suportar e alimentar essa velocidade, como é o caso do Cícero.

No ‘Desafio ao Galo’ desta quarta, o São Paulo começou a partida pressionando, pronto para colocar mais lenha na fogueira em que o corintiano Tite começa a assar. Não deixou o Corinthians sair jogando, marcou no campo adversário, trabalhou como intestino regulado e por 15 minutos enganou seu torcedor, o qual acreditou que a dura derrota sofrida no primeiro turno seria devolvida. Talvez não com uma goleada, mas uma vitória convincente. Ledo engano...

Com o cronômetro correndo e o gol não saindo, tal qual fezes ressecadas em crises de prisão de ventre, o tricolor se afobou e viu o Corinthians – que entrou com a proposta clara não de ganhar, mas de não perder – crescer na partida e igualar forças, mesmo com um elenco em campo inferior aos donos da casa.

A afobação sãopaulina pode ser comparada ao efeito da alimentação deficiente na situação citada no começo do texto, ou seja, se com o domínio do jogo o time não trabalha bem, não faz a bola chegar com facilidade ao gol adversário e aí sair com uma vitória torna-se mais difícil, assim como fazer cocô depois de comer algo que mais parece argamassa e cimenta todas as saídas.

Os jogadores do São Paulo queriam devolver a goleada que, até então, estava (e ainda está) entalada na garganta. Mas do outro lado do campo não estava o Ceará – com todo o respeito ao Vôzão, mas falo em relação à goleada da rodada passada – estava o Corinthians, um dos times que brigam pelo título brasileiro.

Como prisão de ventre é um sintoma e não uma doença pode ser que a vida do São Paulo melhore no jogo contra o Flamengo, no dia 2, data prevista para a estreia de Luís Fabiano no ataque tricolor. Vai que o cara é o “Activia” que falta no time.



Um comentário:

Adriano C. Tardoque disse...

Muito inteligente a comparação. Mas fica a sensação de que tudo isso, ainda vai acabar em merda.

Abração!