sexta-feira, 27 de julho de 2012

Até quando Juvenal?/Cleverson Marcondes

- Nem a pau Juvenal!

O São Paulo está a 3 anos que não passa de um time medíocre, com contratações que não dão nenhum resultado financeiro e menos ainda de títulos a que o time está acostumado.

A torcida está impaciente, a saída da Copa do Brasil foi a gota d’água que faltava para que a torcida voltasse a reclamar do principal culpado dessa trajetória, Juvenal Juvêncio (Presidente).

O problema também recai sobre o torcedor em sua maioria que ficou vislumbrado com o retorno de Luiz Fabiano como um cala boca do JJ em cima dos mais apaixonados pelo clube.

Assim passando uma borracha no golpe em que o presidente deu no clube em sua reeleição mexendo na Ata do Clube alterando o Estatuto, dando condições a ele de disputar a terceira eleição consecutiva.

Juvenal Juvêncio poderia ter saído por cima como o tricampeão brasileiro e com um nome a zelar no clube, porém não foi isso que se viu, o que se viu foi um ditador, arrogante, petulante e doente por poder.

Uma pessoa que não admite ver outro fazer um trabalho melhor que o dele, isso faz com que o São Paulo passe a fazer parte do seleto grupo que teve em seu comando pessoas como, Dualib, Mustafá e outros.

Chegou à hora do basta, não adianta de forma nenhuma culpar Leão, Ney Franco nem qualquer outro comandante, por que simplesmente não se comanda com autonomia no time, o JJ dá seus palpites.

Quem teve a oportunidade de ver a entrevista do Leão na Sportv em um programa onde ele e Rubens Barichello formam os entrevistados ouviu bem o que eu coloquei acima.

Não se tem autonomia no São Paulo FC, além disso o time contrata o que ele quer e não o que o técnico manda para a diretoria.

Basta tricolor, Tu és forte, Tu és grande...

O seu torcedor quer ver seu nome no topo, onde é o seu lugar.  

Um comentário:

Adriano Tardoque disse...

O autoritarismo desemboca em crise, pois não permite a adequação de novos conceitos e sobretudo, novos administradores. Tão vergonhosa quanto a artimanha fascista do Juvenal foi a torcida que se omitiu e se deu o 'pão e circo' da apresentação do L. Fabiano, lotando estádio e dizendo 'amém', colocando debaixo do tapete as tramóias políticas ocorridas.